terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Eu, mulher

Em mim, nem mais nem menos pode fazer que nada.
Por que onde há o "eu", pode ainda existir o comigo.
Mas em mim, o que existe é reação a base de sangue.

Eu posso estar atordoada
Eu posso estar sedada
Eu posso estar aniquilada
Mas em mim, logo que eu puder
O que existe é reação, a base de sangue

Foi uma guerra num sonho longo
Foi um momento que perdi
O vento me abriu os olhos
E se foi em mim,
Minha força agora está aqui

Por mim e para mim, é reação
a base de sangue

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá. Você, sendo você mesmo, não é bem vindo aqui. Mas se você for qualquer outra pessoa, sente-se no chão e coma uma xícara de café.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails